O melhor de Jaú e região em um só lugar! Desde 1999

Categoria: , , ,

SP decreta lockdown hoje, dizem prefeitos; saiba o que deve funcionar

Quarentena foi debatida nesta terça com gestores municipais, que abraçaram a ideia; só serviços essenciais devem funcionar pelos próximos 15 dias
Jauclick

Jauclick

Postagens assinadas como Jauclick fazem parte de conteúdos publicados pela nossa redação
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

Diante do colapso na saúde em cidades do interior de São Paulo, como Araraquara, Campinas e Bauru, o governador João Doria (PSDB) deve anunciar nesta quarta-feira, dia 3, um lockdown para todo o estado. A princípio, a ideia é que o fechamento da economia dure duas semanas.

Doria discutiu a necessidade de medidas mais duras na terça-feira, dia 2, em uma reunião virtual com 616 prefeitos. Patrica Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do governo paulista, João Gabbardo, chefe do centro de combate ao coronavírus em São Paulo e Marco Vignoli, secretário de Desenvolvimento Regional, também participaram.

Segundo relatos dos prefeitos, Gabbardo afirmou que, caso não sejam tomadas medidas mais duras, em 11 dias o sistema hospitalar do estado pode entrar em colapso, em vista do que já ocorreu no Rio Grande Sul, Santa Catarina, Paraná e outras 16 unidades da federação, onde a taxa de ocupação de leitos de UTI já passou de 90% e, nos casos mais críticos, bateu a marca dos 100%. No estado de São Paulo, a ocupação de leitos de UTI está em 73,2%, mas alguns hospitais já atingiram a capacidade total.

“A intenção é evitar um cenário parecido com o de Manaus, com falta de insumos e hospitais sem condição de atender novos pacientes nas unidades de terapia intensiva”, diz Luiz Fernando Machado (PSDB), prefeito de Jundiaí. Machado abriu a reunião na tarde de terça e foi escolhido para explicar, durante o encontro com os gestores municipais, por que considera a a quaretena uma medida essencial neste momento. “Queremos evitar um caos na saúde no estado”, afirma.

Com o aval dos municípios, só os serviços considerados essenciais, como supermercados, farmácias e postos de gasolina, devem funcionar nos próximos 15 dias. Doria deve anunciar nesta quarta a data de início da quarentena. Também deve ser detalhado o posicionamento em relação às atividades escolares, que não foi divulgado na terça durante a reunião com os prefeitos.

“Com os hospitais operando no limite e o aumento no número de casos da Covid-19, praticamente todos os gestores municipais defendem uma ampliação das restrições”, diz Orlando Morando (PMDB), prefeito de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Desde o início do ano, a comunidade científica vem alertando sobre a necessidade de medidas mais duras para conter o avanço da contaminação pelo coronavírus no país. Nesta terça, o número de mortos pela covid chegou a 1.726, um recorde.

A nova variante, que surgiu em Manaus, é um dos maiores motivos de preocupação. “Hoje, estamos entrando de cabeça no sistema no colapso de saúde pelo atraso na vacinação e da demora em adotar lockdowns”, disseo doutor em microbiologia e divulgador científico, Atila Iamarino.

Em Porto Alegre, o hospital particular Moinho dos Ventos, que já atingiu sua capacidade de máxima de atendimento na UTI, decidiu comprar um contêiner para colocar os mortos — o necretório está lotado. O Rio Grande do Sul não tem mais vagas de UTI disponíveis. Mais de 2.820 portadores do coronavírus estão internados em 2.818 leitos, incluindo hospitais públicos e privados.

Os centros de saúde da capital paulista também estão chegando no limite máximo de ocupação. Hospitais particulares como o Einstein e Oswaldo Cruz já não tem mais vagas de UTI. O Sírio Libanês se encontra perto da lotação máxima. Entre os centros de saúde públicos, a Santa Casa e o Emílio Ribas, considerado uma referência no tratamento de doenças infecciosas, também alcançaram 100% da ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva. “A situação é muito preocupante em várias cidades”, diz Machado.

(Fonte: Exame)

EM DESTAQUE