O melhor de Jaú e região em um só lugar! Desde 1999

Categoria: , , ,

Suspeito confessa assassinato de Nicola

Polícia faz reconstituição do crime e descarta homofobia
Diário do Jahu

Diário do Jahu

DDJ (Diário do Jahu), nosso parceiro de conteúdo.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email

(DDJ) Em depoimento na tarde desta segunda-feira (05/04), em Jaú, um dos suspeitos confessou participação no assassinato do professor universitário Ricardo Nicola. Com base em provas levantadas pela Polícia Civil, outras conexões relacionadas ao latrocínio – roubo seguido de morte – ainda estão sendo investigadas.

Para compreender a dinâmica do crime brutal, o delegado responsável pelo caso, Marcelo Tomaz Goes, comanda agora uma reconstituição. A vítima já conhecia V.G.S.C. há alguns meses. O rapaz mora em Jaú e caiu em contradição ao menos três vezes durante interrogatório hoje na Central de Polícia Judiciária.

Para o delegado, está “totalmente descartada” a possibilidade de qualquer relação com crime de homofobia, conforme foi cogitado por algumas páginas na internet. O professor jauense, que tinha 52 anos, entrou na casa onde morava sozinho, no Jardim Parati, por volta de 21h30 do dia 16 de março. Menos de cinco horas depois, o carro dele deixou a residência; a morte por esfaqueamento foi descoberta por um parente dele, na manhã seguinte.

Na tarde do dia 17, dois suspeitos foram presos na capital paulista, circulando com o carro de Ricardo Nicola: V.G.S.C., que só agora confessou a prática do crime, e D.R.S.J., que ainda está sendo investigado. “Há indícios de que ele não estaria na cena do crime, mas a gente precisa comprovar isso”, explica o delegado que comanda a DIG, Delegacia de Investigações Gerais.

Além disso, os suspeitos insistiram até agora em dizer que havia o envolvimento de um terceiro criminoso, mas sem que qualquer detalhe fosse apresentado. Para a polícia, essa hipótese é muito remota.

EM DESTAQUE