Blog do Moraes

Há um ano atrás – Devaneios de um quase ex-enfermo na pandemia

O ano de 2020 prometia muito, mas aí ...
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Há exatamente um ano atrás, no Dia dos Namorados de 2020, eu ia para o Pronto Socorro com alguns sintomas que acabaram acarretando em cirurgias e tratamentos que estou passando por hoje. Como é sabido, cirurgias e tratamentos bem sucedidos e daqui a pouco estou saindo dessa de vez.

Três meses antes, a pandemia que assola o país já havia começado.

E o ano de 2020 prometia.

No meu caso, várias coisas estavam acontecendo no Jahu Clube, na produção comercial do Griswolds e nas produções culturais que estaria por vir no Poder Público tanto daqui como até em outras cidades.

Em 2019, o Griswolds tinha aberto o leque de agendas e no começo do ano seguinte, a banda estava com o clipe Footloose bombando nas redes e shows marcados em Sesc Bertioga (seis shows só na unidade na temporada de julho), Sesc Piracicaba, Sesc São Carlos e três shows consecutivos no Sesc Guarulhos. Tínhamos conseguido uma casa noturna em Ribeirão e outra
Itapetininga. Dois pubs que desde 2.015, começo do meu trabalho com eles, tentava tentava e em 2.020 conseguimos incluir na agenda.

No Festival de Inverno de 2.019 trabalhei com produtor em vários eventos.

Dentre eles, Tributo Raul com PC no Jardim de Baixo, Beatles Festival e Mostra Autoral de Rock no Parque do Rio Jahu dentre vários outros. Em outubro idealizei e produzi 50 anos do Woodstock com 5 bandas, também no Parque do Rio Jahu.

No Jahu Clube, além do trabalho no restaurante, eu e Gambarini já estávamos fazendo alguns shows no salão no Jahu Clube com as bandas da cidade. 2020 os shows no salão do JC aconteceriam por osmose.

Ai veio a pandemia e buum!

Além, de claro, devastar famílias daqui e do Brasil inteiro, o ramo de eventos e de cultura foi completamente destroçado.

Para mim, todos os shows do Griswolds foram cancelados. O tal sonhado pub de Ribeirão Preto fechou as portas. A programação cultural das prefeituras se estagnou. Eventos em clubes nem se fala.

Em 2020, fui convidado pela Carol Panini para produzir a Live de Aniversário da cidade com bandas de Jaú e no final do ano a Lei Aldir Blanc acabou ajudando muito a classe. O recurso federal que foi sancionado através de um projeto do Congresso Nacional salvou vários artistas, produtores, técnicos e empresas de som. Graças a boa vontade da Secretaria de Cultura de
2020 que matou no peito e administrou o recurso, mesmo em final de mandato, mesmo sabendo que não teria bônus político nenhum com a buxa.

Eu mesmo fiz lives com Griswolds, Betinho, Adriano, Laerth Maziero, Matahare, PC Rock, Cadillac Valvulado. Foram quase 200 projetos contemplados em vários segmentos culturais.

Aliás, pra variar, desde a época do Vejau, me chamaram de paneleiro de novo ehehe. Só a “panela” foi contemplada na Aldir Blanc. É demais né. Trabalhamos desde o começo dos anos 90 na área com músicos que tocam faz 30 anos e somos chamados de panela. A turma não tira o popô da cadeira para nada e fica reclamando e colocando a culpa no mérito dos outros (momento revoltss do blog).

Bom… voltando.. é imensurável analisar o que a pandemia causou e causará ainda na classe artística, no ramo de eventos e da cultura.

Como engrenar de novo a agenda do Griswolds?

Como engrenar projetos culturais pós pandemia?

Quando poderemos retomar os eventos no salão do Jahu Clube?

E os shows no Parque do Rio Jahu, quando, de novo, poderemos assistir o público lá curtindo as bandas. E as barracas, os isopores e os traillers acabando com seu estoque numa tarde de domingo?

Ironicamente, os artistas que tanto socorreram o povo com suas lives, filmes, séries, novelas, espetáculos onlines, discos, livros, cursos em toda a pandemia serão os últimos a voltarem a ter uma normalidade profissional em suas vidas.
O que nos resta e ficar ligados em editais públicos (o Governo do Estado abriu através do Proac – www.proac.sp.gov.br). E mesmo com agendas paradas, produzir conteúdos onlines das bandas, peças etc..

Importante estarmos preparados para a retomada. Sempre com bala na agulha!!

Enquanto isso, ficamos aqui na luta esperando que a população se vacine na sua totalidade, que o povo tome tenência e pare de aglomerar e fazer festa desnecessária e que o Poder Público foque no sistema de saúde e se prepare para qualquer nova onda que venha…

Parece que não é pedir demais né… Mas…