Revisão do auxílio-doença concedido após a reforma da previdência social em 2019

Tudo o que você precisa saber sobre a revisão do auxílio-doença.
auxilio doença

O INSS, após a Reforma da Previdência Social, tem realizado o calculo do beneficio dos segurados que requerem o benefício por incapacidade para o trabalho denominado auxílio-doença com a aplicação da Portaria INSS 450/2020.

Ocorre que esta Portaria prevê o período de base de cálculo conforme regramento da Reforma da Previdência, mas ocorre que, a EC 103/19 não abarcou o auxílio doença, apenas fez mudança de nomenclatura para benefício por incapacidade temporária.

Importante analisar o cálculo realizado pelo INSS no cálculo do auxilio doença e verificar nos cálculos da renda inicial do benefício se foi composto por 100% (cem por cento) dos salários de contribuição a partir de julho de 1994 ou desde o inicio das contribuições, se posterior a esta competência, pois, caso assim tenha ocorrido é necessário pleitear a inconstitucionalidade da Portaria INSS 450/2020 e pedir que seja observado no calculo do salario de beneficio, o previsto na Lei nº 8.213/1991

Ou seja, para apuração da renda mensal inicial do beneficio devem fazer dois cálculos,

1) somar todos os salários de contribuição, excluindo os 20% menores e o resultado é dividido pelo número de contribuições, o que resultará no salário de beneficio, o qual, por sua vez, multiplicado por 91% resulta na renda mensal inicial do beneficio);

2) somar os 12 (doze) últimos salários de contribuição, dividir pelo numero de salários de contribuição existentes no período para se chegar a renda mensal inicial. Feitos tais cálculos, aplica-se ao segurado aquele que resultar no menor valor, uma vez que, o valor do auxílio-doença não pode exceder a media aritmética simples dos últimos 12 (doze) salários de contribuição.

Com essa verificação é cabível, a revisão de seu beneficio previdenciário de auxilio por incapacidade temporária, afastando-se, no cálculo da renda do beneficio, as disposições da Portaria INSS 450/2020 e, consequentemente, da EC 103/2019, pois, no mínimo, a autarquia deve excluir 20% das menores contribuições vertidas.

Compartilhe:

Maria Fernanda Forte Mascaro do Pinho

Maria Fernanda Forte Mascaro do Pinho

OAB/SP 264.558 Rua Botelho de Miranda, 153; Chácara Braz Miraglia www.mfaadvassociados.com.br

Últimas notícias

publicidade

Seu site merece estar no topo!

Desenvolvemos sites com tecnologia preparada para integrar com as melhores ferramentas.

Agenda Jauclick

XV de Jaú

Clique aqui e confira tudo sobre o Galo da Comarca.

PUBLICIDADE - SOCIAL

Fortaleça a mensagem da prevenção!

Conheça as campanhas de prevenção trabalhadas no Hospital Amaral Carvalho e acesse e compartilhe os materiais para ajudar a levar a informação para mais pessoas.

Conteúdos em destaque

Circuito SESC de Arte

Parque do Rio Jaú tem circuito SESC de arte no Domingo, 19 de maio

Parque do Rio Jaú recebe o Circuito Sesc de Artes neste domingo com música, dança, oficinas e teatro.... (leia mais)
SOS Rio Grande do Sul

Confira alguns pontos de doação em Jaú para o Rio Grande do Sul

Empresas, grupos, escolas da cidade se mobilizam para ajudar Rio Grande do Sul ... (leia mais)
Dia das Mães Colecione Memórias

Dia das Mães Colecione Memórias no Jardim de Baixo dia 11

Programação das 10h as 16h tem várias atividades e shows com a Banda Carlos Gomes, Aroeira 1942 e Colher de... (leia mais)