Jogo Rápido Honey Bunny

A edição deste Jogo Rápido é com a banda Honey Bunny

O Blog traz o Jogo Rápido da banda Honey Bunny.

A banda tem na sua formação Marcos Paulo nos vocais e contrabaixo, Gabriel Ressinete na guitarra e backing-vocal, João Victor Prado na outra guitarra e Bruno Boaretti na bateria e backing vocal.  O quarteto fez sua estreia no dia 5/07 no Empório Cervisia Rock Fest.

Acompanhe esse super bate papo com a galera do Honey Bunny.

Marcos Paulo de Oliveira – Baixo e Vocal

Como a música apareceu para você?

A música está comigo desde sempre. Meu pai é percussionista e toca em bandas de samba de Jaú desde os anos 90.

Desde bebê, sempre fui a passagens de som, ensaios, e shows das bandas que ele participou, como Bares da Vida e depois Samba ou Travessuras.

Especificamente o rock, surge após ganhar meu primeiro celular, e com ele duas músicas de trabalho da época do Guns N’ Roses, e foi com Better que me apaixonei à primeira ouvida.

Quais são as suas maiores influências musicais?

Minha base musical se formou por bandas como, Megadeth, Rush, Pink Floyd, Motörhead, Deep Purple, Beatles, Black Sabbath, entre outras. Quando vou compor, busco referências dos estilos que ouço mais hoje, mas sem dúvidas, minha base vem dessas que citei acima.

Primeiro show que viu?

Em Jaú, Megadeth Cover, 2011.
De bandas maiores, Angra, 2013

Primeiro show que tocou?

Com banda, foi com a Sociedade Independente, no Rock Animal de 2012. Éramos todos crianças/adolescentes, o mais velho da banda tinha 15 ou 16 anos, nosso repertório tinha Skank, Titãs, Barão Vermelho, etc. Antes, houveram apresentações com a camerata de violões e o quinteto, mas com banda, esse foi o primeiro.

Show inesquecível que viu?

Kiss, Deep Purple e Megadeth.

Show inesquecível que tocou?

Em 2011, com a Camerata de Violões, no World Trade Center em São Paulo.  Esse dia, ainda hoje, é um dos melhores da minha vida!

E a estreia da Honey Bunny no Cervisia Rock Fest!

Eu creio que, ter o próprio local de ensaio e gravação, propiciou que nossos contatos se tornassem muito intensos e constantes, todo ensaio tem o momento de confraternização, e claro, muito trabalho, por um bom tempo para chegar no dia da estreia, então com ela veio um misto de sentimentos bons. É um prazer enorme tocar com esses amigos!

O que você acha da cena musical atual?

Falando especificamente sobre Rock, eu sinto que por atitude ou musicalidade, o rock acabou influenciando os “novos” artistas mainstream.

De uns anos pra cá conseguimos notar cada vez mais esse flerte com o estilo em, por exemplo, Miley Cyrus, Demi Lovato, Harry Styles, Machine Gun Kelly . E isso resultou na chegada de novas bandas e artistas ao topo, como Manëskin, Greta Van Fleet e Yungblud. As modas são sempre cíclicas, e sempre há a revisitação, então, vão surgir bandas, sem falar que as mais “antigas”, como Foo Fighters, Green Day, Muse, vão se tornando os novos gigantes, ocupando o lugar das que já penduraram as chuteiras.

Artista do Mundo
David Gilmour, Geddy Lee, Ian Gillan e Dave Mustaine

(Ainda dá tempo de montar essa banda rsrsrs)
Sempre que vou tocar guitarra, baixo ou cantar, são neles que me inspiro.

Artista do Brasil

Toquinho e Pixinguinha, as primeiras partituras que li foram de músicas deles.

Artista de Jaú

Meus mestres, me ensinaram muito mais que música!
Hoje, tenho o prazer de chamá-los de amigos! Em ordem cronologica:
Fábio Lopes, no violão.


Carlão, na guitarra.
Coxa, no baixo.

Disco Preferido

Indeciso com sempre, fico com The Wall do Pink Floyd ou Quadrophenia do The Who.

Música preferida no geral

Hoje são:

Bizarre Triangle Love – New Order
Nobody Home – Pink Floyd

I’m One – The Who
A Day In The Life – The Beatles
In A Sentimental Mood – Duke Ellington

Preciso Me Encontrar – Cartola

Música preferida de Jaú

Estória Pra Dormir – Mandrake

A música para você é

Meu hiperfoco, o combustível da rotina, a trilha sonora de cada momento. Sem saber, a partir do dia que entrei na primeira aula de violão, determinaria cada caminho que trilhei até aqui.

Gabriel Ressinette Gaido – Guitarra e Backing Vocal

Como a música apareceu para você?

Graças aos meus pais músicos, a música já nasceu comigo. Ainda na barriga da minha mãe,  acompanhava nos shows e bailes. Quando criança, meus brinquedos favoritos eram os instrumentos e, como era de se esperar, à medida que os anos passaram, a música se tornou algo essencial em minha vida.

Quais são suas maiores influências musicais?

Tenho um gosto musical bastante variado, desde o metal progressivo e fusion até o indie, pop e rock. Portanto, minhas influências são bem diversificadas, incluindo artistas como John Mayer, Foo Fighters, Dream Theater, Dirty Loops, Steve Morse, The Strokes, Greg Howe, Van Halen, Cory Wong, Haken, entre outros.

Primeiro show que viu:

Sinceramente, difícil me lembrar, pois desde muito novo acompanhava meus pais em shows e festivais.

Primeiro show que tocou:

Meu primeiro show foi com minha primeira banda, Perfect Way, no evento “Dose Tripla”, transmitido na TV Local de Jahu em 2010.

Show inesquecível que viu:

Quando criança, assistia em fita cassete o show “Live Scenes From New York”, do Dream Theater, onde tocavam o Metropolis PT.2 na íntegra. Em 2019, eles fizeram uma turnê em comemoração aos 20 anos de lançamento do disco e tive a oportunidade de vê-los ao vivo, em São Paulo. Foi uma experiência inesquecível.

Show inesquecível que tocou:

O primeiro show com a Honey Bunny, no 1° Cervisia Rock Fest.

O que você acha da cena musical atual:

A música está muito mais acessível e difundida, sendo fácil o acesso a novos artistas e bandas, por outro lado, com tanta informação, muita coisa boa acaba ficando perdida. Algumas que curto bastante e acho que têm um som bem atual são Scalene, Ego Kill Talent, Mammoth e Haken.

Artista do Mundo:

Dave Grohl.

Artista do Brasil:

Mateus Asato.

Artista de Jaú:

Os Patrões.

Disco Preferido:

Dream Theater – Metropolis PT.2 Scenes From a Memory.

 Música preferida no geral:

Dream Theater – Learning to Live.

Música preferida de Jaú:

Como Você – Os Patrões.

A música para você é:

Refúgio.

João Victor Prado – Guitarra e Backing Vocal

Como a musica apareceu pra Você?

Desde pequeno, a música tem sido uma presença constante e influente na minha vida. Tenho a sorte de ter crescido em um ambiente onde a música era (e é) valorizada e apreciada.

Meu pai curte muitos gêneros diferentes de músicas, e os CD’s que ele colecionava sempre tocavam no nosso carro. Esse contato desde cedo com uma diversidade de estilos musicais foi fundamental para a minha apreciação, compreensão e interesse pela música.

Quais são suas maiores influências musicais?

Minhas maiores influências musicais estão nos anos 80, principalmente no hard rock e glam rock.

Bandas como Guns N’ Roses, Bon Jovi, Motley Crue, Whitesnake, Skid Row, Van Halen, e muitas outras.

Primeiro Show que viu:

Bon Jovi no Morumbi em 2013.

Primeiro Show que tocou:

12º Memphis Beatles Festival – Jaú, 26/02/2011.

Show Inesquecivel que viu:

Guns N’ Roses em 2016. Ano que marcou a volta de Slash e Duff a banda após mais de 20 anos.

Como fã, a sensação de vê-los reunidos no palco após todos esses anos foi uma experiência única.

Ao final do show, ficou claro que aquela noite havia sido mais do que apenas um show. Foi uma celebração da música, da história da banda e, mais importante, uma celebração da conexão entre os fãs e a música que tanto amam.

Sair do Allianz naquela noite foi como deixar para trás um pedaço de algo incrivelmente especial que vivenciei.

Show Inesquecivel que tocou:

A estreia da Honey Bunny no 1º Cervisia RockFest.

Para mim, foi além de quatro músicos simplesmente seguindo sua paixão pela música. Desde o primeiro ensaio, uma conexão especial nos uniu, e essa estreia se tornou um momento emocionalmente carregado. Compartilhar o palco não como apenas colegas de banda, mas também amigos próximos, tornou essa experiência única. Foi um momento em que a música se fundiu com a amizade.

O que vc acha da cena musical atual?

A cena musical de hoje é super diversificada, com diversos estilos e artistas diferentes surgindo e ficando populares. As plataformas de streaming e as redes sociais realmente mudaram o jeito como a gente curte e conhece músicas.

Eu sou fã da vibe dos anos 80 e confesso que sinto por não ter curtido música da mesma forma. Antigamente, costumava-se ir até uma loja e comprar um CD ou um disco. Chegava em casa e colocava pra tocar, repetindo mil vezes, e em cada play, pegava algum detalhe novo que não tinha sido notado anteriormente.

Hoje, tudo é bem mais fácil. A gente consegue ouvir qualquer som na hora que quiser. Mas verdade é que, com isso, a gente acaba não dando tanto valor.

Artista do Mundo:

Axl Rose, o vocalista do Guns N’ Roses.

Ele é uma figura que encapsula brilhantemente todos os elementos que mais admiro nos anos 80. A voz icônica, atitude rebelde e estilo inconfundível personificam a energia e a ousadia daquela década.

Para mim, ele é mais do que um simples artista; ele é um símbolo de uma era e um ícone do rock que continua a inspirar e influenciar tanto os músicos contemporâneos quanto os apaixonados pela história do rock ‘n’ roll.

Artista do Brasil:

Estou frequentemente dividido entre dois dos meus maiores ídolos, curiosamente ambos ex-integrantes do Angra: André Matos e Edu Falaschi.

André Matos é uma figura emblemática que deixou uma marca inegável no cenário do rock no Brasil. Por outro lado, Edu Falaschi também merece destaque, não só por sua passagem pelo Angra, mas pelo seu trabalho contínuo e influência no cenário musical atual. A maneira como ele carrega consigo o legado do Angra e expande suas próprias fronteiras musicais é admirável.

Menção honrosa ao guitar hero brasileiro, Edu Ardanuy!

Artista de Jaú:

Meu professor, Danilo Alves, desempenha um papel fundamental na minha jornada. Sem o apoio e estímulo incansáveis que ele me proporcionou, certamente não estaria trilhando o caminho que percorro hoje. Cada vez que ele me chamou a atenção por não dedicar tempo suficiente aos estudos ou por me concentrar demais na música em vez da teoria, tiveram um papel enorme em me transformar no músico que estou me tornando hoje.

Sou grato pelas lições (inclusive de vida) que aprendo com ele, que não apenas lapidam as minhas habilidades musicais, mas também moldam meu caráter e determinação em evoluir.

Disco preferido:

Appetite for Destruction – Guns N’ Roses

Música Preferida no Geral:

Minha escolha de música favorita varia ao longo do tempo, mas uma que constantemente permanece no topo é “Estranged” do Guns N’ Roses.

Musica preferida de Jaú:

O Psiconauta – O Circo da Meia Noite e os Palhaços Sem Sorriso.

Essa galera era diferenciada.

A Música pra você é:

Para mim, a música é mais do que apenas um conjunto de notas e melodias. Ela é uma porta de entrada para um mundo de emoções, memórias e conexões culturais. É uma forma de expressão que ressoa de maneira pessoal e que tem a capacidade de evocar sentimentos intensos e lembranças vividas.

Uma fonte de inspiração constante e um portal que conecta o passado ao presente, permitindo que a energia e o espírito de épocas passadas continuem a ecoar e influenciar o mundo atual.

Bruno Boaretti Nogueira – Bateria e Backing Vocal

 Como a musica apareceu pra Você?

A musica apareceu muito naturalmente. Minha família sempre gostou e sempre ouviu. É algo que não me lembro de ter um momento exato de descobrir, mas que sempre, em toda a minha vida, esteve presente. Desde pequeno eu também gostei de ouvir e ser abraçado pelo som, principalmente do Rock. Queen esteve lá, Guns esteve também. Pearl Jam e Nirvana me influenciaram muito quando criança.

Quais são suas maiores influências musicais?

R: Metal, Grunge, Nu Metal, Rock e indie.

Primeiro Show que viu:

O Primeiro que vi e que realmente me chamou atenção, foi do The Four Horsemen, Cover do Metallica. Na época eu era viciado e só ouvia Metallica,  e esse show abriu a minha mente pra sempre.

Primeiro Show que tocou:

Na minha primeira banda, tocamos Seis musicas numa festa junina da escola. Tudo que poderia dar errado aconteceu, mas no final tocamos algumas musicas e foi divertido.

Show Inesquecivel que viu:

Rock in Rio 2013, todos os que aconteceram no dia do metal.  Estavamos em cinco amigos e esse dia em especial eu jamais esquecerei

Show Inesquecivel que tocou:

A estreia da Honey Bunny no Cervisia Rock Fest vai ficar pra sempre! Tocamos todas as musicas, inclusive uma autoral, que depois ouvimos o pessoal cantarolar, foi uma sensação de dever cumprido.

Me lembro também de um ainda com a minha primeira banda uns 13 anos atras, lembro que tocamos num bar do Joao Guerino, e nesse dia especifico tinha bastante gente. Eu era guitarrista e vocalista na epoca, e me lembro de todo mundo cantando junto na Ace of Spades. Algo que nunca vou esquecer.

O que vc acha da cena musical atual?

Você pode encontrar todo tipo de música de maneira fácil e é ótimo pra quem gosta de explorar e conhecer bandas novas, coisa que gosto bastante de fazer quando consigo. Achar uma banda nova com um som que seja legal é como um grande tesouro, e eu gosto muito de escutar uma música pela primeira vez e arrepiar com os riffs, vocais e letras.

É Obvio que o Rock perdeu espaço na grande mídia, mas ele continua vivo nos eventos, nos shows e no underground. Existem bandas excelentes como Rival Sons, que é relativamente novo, Maneskin está a todo vapor, Ghost e Tantas outras que nos últimos anos têm lotado estádios.

Aqui na cidade Temos ótimas bandas nascendo na cena, e vários eventos incríveis fomentando o autoral e o cover.  Isso só tem a melhorar a cena!

Artista do Mundo:

Sem dúvidas, Dave Ghrol.

Artista do Brasil:

Eloy Casagrande, Bruno Valverde, Nando Reis, Cassia Eller, Pitty, Lenine e Ego Kill Talent.

Artista de Jaú:

Eu diria meus colegas de banda. Tenho sorte de tocas com esses caras!

Disco preferido:

Essa pergunta é complicada, mas o primeiro que me vem a mente é Wasting Light – Foo Fighters.

Mas citaria muitos outros “Feral Roots” e “Darkside” do Rival Sons estão na lista dos meus preferidos sem dúvida. “…And Justice For All” do Metallica, “Hybrid Theory” do Linkin Park, Lateralus – Tool, Sound of White Noise do Anthrax,  Todos do Alice In Chains e Stone Temple Pilots são alguns deles.

Música Preferida no Geral:

Everlong – Foo Fighters, Bird in the hand – Rival Sons,  Lateralus – Tool… Entre muitas outras.

Musica preferida de Jaú:

A Classica “O sol faz bem pra mim”

A Música pra você é:

É o alívio pra um mundo tão complicado. É um presente do artista pra quem quiser ouvir. Um ato de coragem por se expor, e generosidade ao mesmo tempo, por emprestar aquilo que o artista sentiu no momento que escreveu aquela letra ou melodia. Não teria sentido viver num mundo sem música.

Eu espero conseguir fazer isso  em breve, lançando as músicas com a banda. É meu presente pra quem quiser ouvir.

Compartilhe:

Wilson Moraes

Wilson Moraes

Wilson Moraes, o Moraes, escreve periodicamente no Blog do Moraes, agora aqui no Jauclick

Agenda Jauclick

publicidade

Seu site merece estar no topo!

Desenvolvemos sites com tecnologia preparada para integrar com as melhores ferramentas.

PUBLICIDADE - SOCIAL

Fortaleça a mensagem da prevenção!

Conheça as campanhas de prevenção trabalhadas no Hospital Amaral Carvalho e acesse e compartilhe os materiais para ajudar a levar a informação para mais pessoas.

Mais Blogs do Jauclick

Rápidas-e-rasteiras-4

Edição 4: Rápidas e Rasteiras

Homem Invisível  - Coyote Azul – Histórias de Camarim – A Volta do Armazén – Ferrari Online – Literocupa e... (leia mais)
iaolhosverdes03

Olhos Verdes

A saga do jornalista Guido Puentes atrás dos Olhos Verdes em meio as ditaduras do Cone Sul ... (leia mais)
João-Kurk-Blog-do-Moraes

04 anos sem João Kurk

No post de hoje, Moraes fala um pouco sobre João Kurk... (leia mais)